Le Santé

Como ficam as relações sexuais após o tratamento oncológico?

28 de abril de 2018

O câncer gera consequências além do físico, o emocional é afetado da mesma forma. Pacientes em tratamento da doença, criam o medo e dúvida de como será a vida sexual após o câncer.

Aprender a aceitar e sentir-se bem com seu corpo durante e após o tratamento não é tarefa simples, e varia de pessoa para pessoa. Informações e apoio ajudam a lidar com essas mudanças de maneira mais fácil.

Relação sexual após o câncer de próstata

O câncer de próstata e o seu tratamento podem provocar alterações na relação sexual. Mas nem todos os casos podem sofrer essas mudanças, e existem alternativas para tratar a doença da próstata que preservam a potência sexual masculina.

A cirurgia prostatectomia radical é a que mais afeta a sexualidade do homem. Já as operações menores como a RTU, raramente trazem mudanças na potência sexual. Em alguns casos o que pode acontecer é a ejaculação retrógrada, situação na qual a ejaculação vai para dentro da bexiga ao invés de ser expelida.

Relação sexual após o câncer de mama 

Mulheres que passaram por mudanças físicas relacionadas a mastectomia, podem se sentir menos confortáveis com o seu corpo. Os níveis hormonais sofrem alteração, afetando o interesse sexual.

Em relação ao parceiro, pode ocorrer insegurança em como expressar seu amor após o tratamento. O diálogo é muito importante. Conversar sobre todos os receios, tornado-se um experiência de crescimento para o casal.

Aprendendo a viver com as mudanças 

Mudanças na aparência podem afetar de forma profunda alguns pacientes. Passar pela quimioterapia causa a perda de cabelos, por exemplo. Assumir a nova aparência é uma opção, porém, caso seja necessário uma transição algumas opções como perucas, chapéus e lenços, podem ajudar  a lidar com a perda de cabelo.

Mulheres que tiveram câncer de mama e tiveram que passar pela mastectomia,  geralmente optam pela reconstrução mamária. Entretanto, essa opção não é viável para todas, havendo outras alternativas como, a colocação de próteses de silicone, ou manter o resultado pós cirúrgico.

Mudanças nos homens e mulheres na relação sexual causadas pelo tratamento de câncer 

As condições dependem do tipo de quimioterapia que o paciente recebeu.

Em mulheres:

  • falta de lubrificação vaginal;
  • sintomas precoces da menopausa;
  • estresse súbito, preocupação e depressão que comprometem as relações sexuais;
  • ondas de calor;
  • irritação desmotivada;
  • interrupção do período menstrual ou ausência de menstruação;
  • coceira vaginal;
  • perda de interesse sexual.

Nos homens:

  • dificuldades em alcançar o clímax;
  • dificuldade de ter ou de manter uma ereção;
  • sentir-se muito cansado para ter uma relação sexual ou perda de interesse no sexo;
  • sentir-se muito cansado, preocupado e deprimido para uma relação sexual.

Tanto homens quanto mulheres devem manter um diálogo com sua equipe médica para amenizar as mudanças sexuais após o tratamento do câncer. Aceitando ajuda, contribuirá a encontrar alternativas para melhorar a vida de cada paciente, criando hábitos mais saudáveis e melhorando a autoestima.