Le Santé, Saúde

Como o paciente oncológico pode se proteger contra o coronavírus?

2 de abril de 2020
coronavírus

A pandemia relacionada ao covil-19 (coronavírus) causou e ainda tem causado um grande impacto na nossa sociedade e no mundo todo. A sua rápida disseminação tem preocupado e alertado todos os líderes mundiais e também a população, principalmente os que possuem a saúde fragilizada, como o paciente oncológico.

Os pacientes oncológicos tem uma diminuição da imunidade causada pela doença e seus tratamentos. Se o paciente oncológico adquire a infecção pelo coronavírus, o risco é de uma evolução mais agressiva.

Dentre os pacientes com câncer, os que possuem maiores riscos são:
  • Pacientes com Leucemias, linfomas e miolemas múltiplos;
  • Pessoas que passaram por transplante de medula óssea;
  • Pacientes em tratamento de quimioterapia.

De acordo com as informações disponibilizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) as recomendações são:

Ao paciente oncológico:

  • Não interromper os tratamentos oncológicos;
  • Evitar contato físico (inclusive com a equipe médica);
  • Evitar contato com pessoas com sinais de gripe ou que estejam retornando do exterior;
  • Caso apresente algum sintoma de: febre, tosse, falta de ar ou coriza, entrar em contato com o seu médico de forma imediata.

Instruções para ambientes hospitalares:

  • Evite locais fechados e aglomerações;
  • Em caso de acompanhantes, levar apenas uma pessoa e que não apresente sinais de gripe;
  • Restringir visitas hospitalares.

Instruções para a população geral:

  • Manter a higiene frequente das mãos lavando-as com água, sabão e fazendo uso de álcool gel 70%;
  • Cobrir com o antebraço o rosto ao tossir e espirrar;
  • Evitar locais fechados e com pessoas aglomeradas;
  • Pessoas com sinais de gripe devem ter maior cuidado e evitar se aproximar do paciente oncológico.

Contudo, é importante manter a alimentação saudável e ingestão de líquidos. Priorize a sua saúde e conte com a sua equipe multidisciplinar para auxiliar nos cuidados necessários.

Por fim, nos acompanhe nas redes sociais para mais informações.

Fonte: Sociedade Brasileira De Oncologia Clínica (SBOC)

No Comments

Leave a Reply